Máscara + Renda, da Rede Asta, gera renda e distribui produção localmente

Realização: Rede Asta

País: Brasil

Em tempos de crise, sabe-se que os grupos mais afetados sócio-economicamente são sempre mulheres e crianças, historicamente ameaçados nos seus sistemas de garantias de direitos. E, com a pandemia da Covid-19, não foi diferente: milhares de costureiras e artesãs, em todo o país, sofreram os impactos em seus micro empreendimentos ou nas confecções para as quais prestavam serviços, seja como autônomas ou como empregadas.

Diante deste cenário, a Rede Asta, em parceria com uma série de empresas e instituições, lançou o projeto “Máscara mais Renda” que tem como objetivo principal gerar renda para mulheres em situação de vulnerabilidade social, em todo o país. Elas se inscrevem gratuitamente e, após selecionadas, recebem a matéria prima em casa e um pagamento por máscaras produzida por dia, garantindo o recebimento de uma renda mensal, por 03 meses. Ao final da produção, elas indicam organizações sociais locais para receberem as máscaras e distribuírem para a comunidade, gratuitamente.

Este é o tipo de ação que impulsiona a potência do consumo local, aliados às características de um negócio de impacto social: gerar renda em resposta a uma determinada problemática, de modo que o maior número de pessoas sejam beneficiadas por uma mudança nos modos de se produzir e consumir.

 

Campanha da Vans transforma sapatos personalizados em dinheiro para lojas fechadas em função do Coronavírus

Realização: Vans

País: Estados Unidos

A marca de sapatos e roupas de skate Vans criou a iniciativa Foot The Bill (em inglês, foot the bill é o mesmo que pay the bill; ou seja, significa “pagar a conta”) para tentar reduzir o impacto financeiro sofrido pelas empresas norte-americanas que tiveram seus negócios impedidos de funcionar durante a quarentena.

Em abril de 2020, a marca convidou pequenas lojas de skate, restaurantes, galerias de arte e espaços ligados à música que foram obrigados a fechar em função do Coronavírus a personalizarem seus sapatos e depois venderem seus designs por meio de sua plataforma de comércio eletrônico. O valor das vendas dos itens personalizados (menos custos de produção e frete) são destinados à loja ou local de criação, tornando a compra um ato de apoio a empresas locais em dificuldades.

A Vans se comprometeu a produzir até 500 pares de cada design, e os compradores podem personalizar ainda mais os sapatos, alterando a cor ou o material, por meio do e-commerce da Vans.

Segundo nota publicada no site da iniciativa, a Vans até agora ajudou empresas com aproximadamente US $ 4 milhões através do Foot The Bill.

 

MICRASHELL: Uma roupa que permite socialização segura em tempos de pandemia

Realização: Estúdio Production Club

País: Estados Unidos

A pandemia causada pelo Covid-19 alterou drasticamente a vida de milhões de pessoas no mundo, principalmente pelas medidas de distanciamento social adotadas. A partir dessa provocação, a roupa Micrashell foi desenvolvida como uma solução segura para interação social. Especialmente projetada para satisfazer as necessidades da vida noturna, o look conta com filtro N95, sistema de emissão de ar, um suporte para celular e caixas de pressão para beber sem retirar o capacete.

 

Com impossibilidade de sessões de fotos presenciais, Amaro cria modelo virtual para suas campanhas

Realização: Amaro

País: Brasil

Sem poder realizar sessões de fotos presenciais com modelos, fotógrafos e equipe de produção devido ao isolamento social, a Amaro, loja de roupas online, criou uma modelo virtual para estrelar suas campanhas publicitárias digitais. Chamada de Mara, a modelo foi criada a partir da base de dados coletados pelo time de inteligência de negócios da empresa.

 

Desfile é criado a partir de realidade virtual durante lockdown francês

Realização: Lanvin

País: França

Durante a Semana de Moda de Paris, a Lanvin colaborou com as plataformas de vídeo Douyin, Yizhibo, iQiyi e o varejista de luxo Secoo para criar um desfile virtual.

A marca também convidou blogueiros de moda e Jiayi (羿) da boyband UNINE para transmitir ao vivo a ação nos bastidores do programa sob a hashtag #lanvin 场 场 (#lanvinCloudBasedRunway), resultando em mais de 5 milhões de visualizações.

Além das novas roupas, as mais recentes bolsas da Lanvin – inspiradas em objetos do cotidiano, como embalagens utilizadas em delivery – chegaram às mídias sociais chinesas, iniciando conversas e ajudando a direcionar um público mais jovem para a marca.

A epidemia de coronavírus está realmente testando a capacidade de resposta das empresas, especialmente na indústria de luxo. Como Lanvin, a chave para muitos designers tem sido aumentar a interação humana através da utilização da tecnologia.