Máscara + Renda, da Rede Asta, gera renda e distribui produção localmente

Realização: Rede Asta

País: Brasil

Em tempos de crise, sabe-se que os grupos mais afetados sócio-economicamente são sempre mulheres e crianças, historicamente ameaçados nos seus sistemas de garantias de direitos. E, com a pandemia da Covid-19, não foi diferente: milhares de costureiras e artesãs, em todo o país, sofreram os impactos em seus micro empreendimentos ou nas confecções para as quais prestavam serviços, seja como autônomas ou como empregadas.

Diante deste cenário, a Rede Asta, em parceria com uma série de empresas e instituições, lançou o projeto “Máscara mais Renda” que tem como objetivo principal gerar renda para mulheres em situação de vulnerabilidade social, em todo o país. Elas se inscrevem gratuitamente e, após selecionadas, recebem a matéria prima em casa e um pagamento por máscaras produzida por dia, garantindo o recebimento de uma renda mensal, por 03 meses. Ao final da produção, elas indicam organizações sociais locais para receberem as máscaras e distribuírem para a comunidade, gratuitamente.

Este é o tipo de ação que impulsiona a potência do consumo local, aliados às características de um negócio de impacto social: gerar renda em resposta a uma determinada problemática, de modo que o maior número de pessoas sejam beneficiadas por uma mudança nos modos de se produzir e consumir.

 

Sacadas a Mostra: Projeto cria “sacada virtual” para divulgar artistas independentes durante a quarentena

Realização: Samoel Junqueira + Pedro Arvati + Victor Souza

País: Brasil

Em função do fechamento de bares e o cancelamento de eventos e shows devido à pandemia de Covid-19, o trabalho dos artistas independentes foi altamente impactado.

No entanto, durante o período de quarentena, a música e outras manifestações artísticas encontraram nas sacadas dos prédios uma possibilidade de palco, levando um pouco de entretenimento para os que estavam isolados em suas casas.

A partir deste cenário, os criativos Samoel Junqueira, Pedro Arvati e Victor Souza criaram, em julho de 2020, a página no Instagram @sacadasamostra, que tem a proposta de funcionar como um “sacada digital”, como se cada post fosse a varanda de um prédio, apresentando um músico independente.

Nos posts, os idealizadores da página levam ao público um pouco da história de cada artista, o que mudou com a pandemia e um vídeo promovendo seu trabalho.

 

Adote um CV busca aumentar visibilidade de currículos de profissionais que procuram recolocação durante a pandemia

Realização: Rodrigo Chiesa + Paulo Silva

País: Brasil

Lançado em abril de 2020, o Adote um CV tem como objetivo ajudar os brasileiros que perderam o emprego durante a pandemia do Coronavírus e buscam recolocação. A ideia é que uma pessoa ‘adote’ um currículo disponibilizado no site, de um profissional que está em busca de emprego, e o compartilhe em suas redes sociais, ajudando a dar visibilidade ao CV e aumentando as chances de contratação do profissional.

A iniciativa sem fins lucrativos, desenvolvida por Rodrigo Chiesa e Paulo Silva, consolida informações de planilhas divulgadas de forma pública no Linkedin, de profissionais que foram desligados de seus empregos em função do atual cenário.

 

Projeto Post Quarantine convida as pessoas a fazerem auto-reflexão durante a pandemia escrevendo cartas para si mesmo no pós-quarentena

Realização: Nikky Lyle, Em Williams e Claire Medcalf

País: Reino Unido

Post Quarantine é um projeto desenvolvido pelas profissionais do setor criativo Nikky Lyle, Em Williams e Claire Medcalf que convida as pessoas a refletirem como estão se sentido durante a pandemia do Coronavírus escrevendo cartas para si mesmo no futuro, após o fim da quarentena.

Lançado em abril de 2020, o projeto conta com uma página no Instagram, onde as carta recebidas são postadas. No entanto, o plano é reunir os escritores com suas cartas em uma grande festa de exibição pós-quarentena, quando todos pudermos se reunir novamente.

O Post Quarantine parte da premissa de que “escrever é uma das coisas mais úteis que você pode fazer durante um período de estresse. O ritmo mais lento de colocar a caneta no papel permite que você ordene seus pensamentos e encontre alguma clareza. Então, qual o melhor momento para escrever do que durante uma pandemia global? Sim exatamente.”

 

Havaianas, Complexo do Alemão e Brasil no movimento #EmpatiaGeraEmpatia

Realização: Havaianas e coletivos

País: Brasil

De uma conversa entre o ativista Raull Santiago, morador do Complexo do Alemão e cofundador do Coletivo Papo Reto e a Consultora Cristina Naumovs, surgiu a ponte da parceria com a Havaianas, que se transformou em milhares de chinelos, produtos de higiene, limpeza e leite em pó. Como durante a pandemia, todas as ações do Papo Reto estão direcionadas a fortalecer o Gabinete de Crise do Complexo do Alemão (já mencionado em postagem anterior aqui), foi a partir desta frente que iniciou a distribuição pela favela.

Além do Complexo do Alemão, conseguiram conectar mais algumas periferias do Brasil nessa parceria, como a ONG Lá da Favelinha do Aglomerado da Serra, em Belo Horizonte. Agência Popular Solano Trindade do Campo Limpo, em São Paulo. Rede Urbana de Ações Socioculturais “RUAS” de Ceilândia, Brasília. E o Vale do Dendê, de Salvador.

Video no perfil do Instagram do Raull Santiago.

 

Fashion Masks, do Instituto REsocial, entregam 1 milhão de máscaras em 30 dias de operação

Realização: Instituto REsocial

País: Brasil

O movimento Fashion Masks nasceu no início da quarentena, sem fins lucrativos, com o propósito de fazer a ponte entre a demanda por máscaras de proteção e profissionais sem trabalho neste período de paralisação da economia. Assim, dando suporte a empreendedores individuais e gerando renda para a população desassistida.

As máscaras são feitas por pequenas fábricas antes paralisadas e em situação de risco. Apenas pelos custos de produção e frete, entregam as máscaras em casa para quem não consegue produzi-las. A REsocial é uma iniciativa de inclusão social, criada em meio a maior crise sanitária e econômica vivida em nosso país, com o propósito de criar soluções auto-sustentáveis capazes de absorver a força de trabalho de mais 40 milhões de brasileiros desempregados. A missão é impactar positivamente o elo mais fraco da sociedade (informais e minorias), criando projetos que os possibilitem continuar trabalhando e sustentando suas famílias.

 

Me ajuda a ajudar? Frente à pandemia, do que precisam os mais vulneráveis?

Realização: BOX1824 + Publicitários Negros

País: Brasil

A iniciativa idealizada por jovens comunicadores periféricos com apoio do grupo Publicitários Negros e da BOX1824 mapeia as necessidades e urgências da periferias de todo o Brasil, buscado insumos a iniciativas sociais de grandes marcas e empresas no combate a pandemia de COVID-19.

 

Did they help? – descubra como uma empresa ou personalidade se comportou durante a pandemia de coronavírus

Realização: Voluntários / Sociedade Civil

País: Inglaterra / Mundial

O Did They Help foi criado com a missão de documentar todas as boas e más ações que empresas e figuras públicas fizeram durante esse período da pandemia. Um banco de dados abrangente e mantido disponível sem patrocínio on-line, para que as pessoas possam tomar decisões melhores e mais informadas no futuro sobre onde gastam seu dinheiro e em quem investem.

O site classifica como “Heróis” as empresas e pessoas de alto perfil que fizeram mudanças e ações positivas para apoiar os funcionários e a sociedade durante o COVID, e como “Zeros” aqueles cujas ações podem ter tido um impacto negativo.

Esperam ir além da pandemia de Coronavírus no futuro e classificar empresas e figuras públicas em outras questões mundiais, como aquecimento global, trabalho infantil e muito mais. No entanto, por enquanto, o foco é especificamente ​​em ações notáveis ​​tomadas durante a pandemia de Covid-19.

 

Festival Favela em Casa: programação online que une diferentes linguagens artísticas das periferias do Brasil

Realização: Sociedade Civil + Ubunbu Produções + Boia Fria Produções + Aquarium Prodz

País: Brasil

O Festival Favela em Casa surgiu a partir da crise enfrentada pelos artistas independentes durante a pandemia. Pretende unir geração de renda, engajamento cívico e solidariedade com várias produções artísticas urbanas vindas das periferias de todo o Brasil em 36 horas de programação divididos por quatro dias e mais de 70 apresentações.

.Essa é uma iniciativa de dois jovens da periferia paulista, a produtora Andressa Oliveira, moradora do Campo Limpo, extremo sul de São Paulo e o articulador cultural e fotógrafo Marcelo Rocha, da cidade de Mauá no ABC Paulista. Junto a isso, os produtores Ana Paula Paulino (Ubuntu Produções), Mariana Bergel (Boia Fria Produções), Rico Manzano (Aquarium Prodz) e Warley Alves, se juntaram ao time para uma curadoria coletiva, com dezenas de artistas de várias favelas do país.

“O Brasil é um país festivo por natureza, reconhecido por suas culturas. Assim, não surpreende em ter encontrado uma saída tão potente nas lives da vida, gerando entretenimento em meio ao caos, que torna esse momento menos difícil de se passar. Cultura de periferia para periferia.”

 

Covid Art Museum: O primeiro museu de arte do mundo nascido durante a quarentena de Covid-19

Realização: Sociedade Civil

País: Espanha – Mundial

O CAM surgiu para reunir pinturas, colagens, fotografias e montagens que têm surgido influenciados por esse momento. Com os museus fechados e milhões vivendo a vida sem sair de casa, novas imagens estão surgindo para marcar esses tempos e também como um reflexo que mostra o impacto da epidemia em muitos artistas.

Por trás da iniciativa, está o trio Emma Calvo, Irene Llorca e José Guerrero, de Barcelona. O critério de seleção foi escolher obras que são feitas no período de quarentena, que transmitem e refletem o que todos estamos vivendo e sentindo. Por isso não se limitaram a nenhuma técnica. Postam todos os tipos de arte, sejam ilustrações, fotografias, pinturas, desenhos, animações, vídeos etc

Os três publicitários fazem a busca on-line e, hoje, eles também recebem propostas de criativos de todo o mundo através do Instagram. A proposta é que, no futuro, quando isso virar parte da historia do mundo, as pessoas poderão descobrir como os artistas se expressaram durante esse período.

 

#CoronaNasPeriferias: uma coalizão nacional de enfrentamento ao coronavírus

Realização: Sociedade civil

País: Brasil

Coalizão nacional de comunicadores periféricos para a disseminação de informação correta sobre a pandemia, cuidados e efeitos, entre os moradores das grandes comunidades do país.

 

Covid Radar: coletivo integra iniciativas de enfrentamento à pandemia

Realização: Empresas e organizações

País: Brasil

Com o objetivo de ajudar no rastreamento do Covid-19 e auxiliar a sociedade brasileira no enfrentamento à Covid-19, o Covid Radar surge como uma iniciativa formada com o apoio de mais de 40 instituições públicas, privadas e acadêmicas (incluindo a Rede Brasil, do Pacto Global da ONU) em prol de uma maneira de acompanhar o avanço de casos da doença no país. O resultado é uma fonte de informações seguras e confiáveis para monitorar a contaminação e orientar a tomada de decisões, permitindo a atuação assertiva em cada fase da epidemia.

 

Lista Fortes Brasil: incentivo À doação de 1% do lucro líquido da empresa

Realização: Sociedade Civil

País: Brasil

A Lista Fortes nasceu da ideia do ator Caco Ciocler de estimular ainda mais doações desde o início da pandemia do Covid- 19 e ajudar as instituições que estão na luta contra o coronavírus, em todas as frentes, construção de hospitais, compra de equipamentos médicos, produção de álcool gel, distribuição de alimentos e renda, implementação de logística, etc. Já conta com apoio de diversos artistas que formam a lista de propagadores da boa notícia da Lista Fortes. 

A empresa escolhe suas causas e instituições, doa pelos menos 1% do seu lucro líquido, e passa a fazer parte da Lista Fortes Brasil.

 

Iniciativas da sociedade civil sem esperar por ações governamentais

Realização: ONGs e organizações civis

País: Brasil

A pandemia da Covid-19 gerou no Brasil uma reação de solidariedade que não espera por ações governamentais. Iniciativas da sociedade civil se espalharam por vários estados, levando aos mais necessitados comida, produtos de higiene, máscaras, recursos econômicos e informação numa linguagem familiar, que enfatiza a necessidade de distanciamento social e de prevenção contra a doença. Uma gigantesca rede de ajuda social que não depende do Estado está em marcha a todo vapor e representa, hoje, o único salva-vidas para milhões de pessoas. É uma força-tarefa nacional de voluntários e ONGs que vem combatendo o coronavírus de diversas maneiras.

 

Loja de lavagem de motos se transforma em QG da solidariedade

Realização: Two Wheel Club RJ

País: Brasil

Two Wheel Club localizada em Botafogo no Rio de Janeiro é uma loja para lavagem de motos e conta também com espaço de cozinha, bar e jogos. No início da pandemia, logo após interromper suas atividades comerciais, seu espaço foi ocupado para preparação de alimentos para doação à população em situação de rua. Contou com a colaboração de clientes e parcerias como hotéis que doaram os alimentos em estoque que não iriam mais utilizar. Logo depois passou a arrecadar e armazenar as doações de alimentos que saem todos os dias para distribuição com contribuições de clientes e amigos.

 

Protagonismo de representantes de comunidades para ajuda durante o período de isolamento

Realização: Juntos pelo Complexo do Alemão

País: Brasil

Cartazes, grafite, carros de som e adaptações de músicas funk são estratégias adotadas por moradores de comunidades periféricas para tentar minimizar os danos da pandemia do novo coronavírus em áreas de risco. No Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, entidades criaram um gabinete de crise para elaborar ações de conscientização sobre a importância de lavar as mãos e evitar aglomerações.

Diante dos desafios para combater a covid-19 nas favelas, representantes de entidades da sociedade civil se organizam em todo o País para suprir lacunas em regiões desassistidas pelo Estado. Além de reunir doações de alimentos e itens básicos de higiene, um dos principais desafios das organizações é fazer as entregas chegarem aos beneficiários de forma segura, sem chance de contágio.

Outro foco é a campanha de arrecadação de doações para moradores da favela. No Rio, alguns dos responsáveis são do jornal comunitário Voz das Comunidades. Eles afirmam que parte do valor arrecadado será usada para a compra de água, álcool em gel e sabonete. A segunda etapa terá foco na distribuição de alimentos.

Criador do Voz das Comunidades, o ativista Rene Silva afirma que as doações ficam isoladas por pelo menos três dias em um local seguro a fim de evitar contaminações. Depois, tudo é higienizado e manuseado com luvas até chegar ao destino final.

 

Coronavirus Poop Calculator – Calculadora informa quantidade de cocô necessária para acabar com estoque de papel higiênico

Realização: Dmytro Spilka

País: Reino Unido

Criada por um profissional de marketing de Londres, Dmytro Spilka, a “calculadora de cocô” visa responder uma pergunta simples: “Quanto tempo durará o seu papel higiênico?”. Depois de perceber uma disparada nas compras mundiais motivadas pelo pânico, seguidas pelo déficit de papel higiênico e outras necessidades, o criador percebeu que havia uma necessidade de desenvolver uma ferramenta interativa que pudesse ajudar as pessoas a perceberem que provavelmente têm muito mais papel higiênico do que realmente precisam para sobreviver à pandemia. Com base nos valores selecionados, a ferramenta fornece ao usuário um status, os kgs de cocô que precisam ser produzidos e o número de dias que o estoque de papel higiênico deverá durar se usado normalmente.

 

Plataforma ‘Vizinho do Bem’ conecta vizinhos que precisam de auxílio durante a quarentena com aqueles que podem ajudar

Realização: Nox

País: Brasil

Percebendo que muitas pessoas em quarentena, especialmente aquelas no grupo de risco, como idosos e pessoas com comorbidades, estavam precisando de ajuda para realizar atividades como ir ao supermercado ou passear com o cachorro, a start-up brasileira de gestão de condomínios Nox lançou, em março de 2020, a plataforma Vizinho do Bem, que conecta vizinhos que precisam de ajuda com aqueles que podem ajudar.

Funciona assim: o interessado preenche um cadastro com seus dados, dizendo se precisa de ajuda ou quer ajudar. O time da start-up analisa a veracidade das informações apresentadas e pesquisa as proximidades entre a ajuda e o voluntário, fazendo a conexão dessas pessoas por WhatsApp. Após feita a aproximação, a apresentação e relação fica por conta das duas partes. O serviço é prestado de forma gratuita.